Ao lidar com a questão da energia e eficiência energética, a INALCA visa fornecer o seu contributo para a luta contra as alterações climáticas, um objetivo global identificado pela FAO para o período de 2015-2030 e consagrado nos importantes acordos internacionais de Paris sobre o clima (COP21), ratificados por 195 países. Desde há mais de 20 anos, a INALCA tem centrado os seus esforços no tema da eficiência energética. Com efeito, em 1997 foi instalado o primeiro sistema de cogeração a metano na unidade de Castelvetro di Modena para a produção combinada de energia elétrica e calor.

6 milhões de euros
investidos na instalação
de digestão anaeróbia

Para a INALCA, 2016 constitui um ponto de viragem na luta contra as alterações climáticas. No âmbito da aquisição do Grupo UNIPEG ASSOFOOD, a INALCA adquiriu mais uma instalação de digestão anaeróbia junto à unidade de Pegognaga (Mântua) e sobretudo a participação em uma instalação de cogeração de 5 MW para a produção combinada de energia elétrica e calor, ao serviço das necessidades da unidade adjacente de Pegognaga; esta instalação é propriedade da empresa UNITEA S.r.l., detida a 50% pela INALCA, e é inteiramente alimentada por fontes renováveis, em particular gorduras animais.

97% de energia
autoproduzida a partir de biomassa e cogeração

O contributo desta instalação para a sustentabilidade ambiental é extremamente relevante. Com efeito, isso permitirá aumentar a quota de energia autoproduzida para 98% das suas necessidades (equivalente a 105.367 MWh), mas acima de tudo melhorar drasticamente a percentagem de energia obtida de fontes renováveis, que passa de cerca de 5% para 40% das suas necessidades (43.157 MWh).

11.123 MWhe
de energia autoproduzida a partir de biogás

A cogeração e o biogás constituem uma combinação vencedora, recompensada pelo sistema nacional de incentivos. Com efeito, através desta rede de instalações, em 2017 o grupo obteve incentivos (ex-certificados verdes), cobrindo a totalidade da energia produzida a partir de biomassa, equivalentes a 70.500 certificados relativos à referida instalação da UNITEA e à instalação de biogás da INALCA em Ospedaletto Lodigiano, aos quais se devem adicionar 4.097 certificados brancos (CEE) relativos às instalações de cogeração existentes na unidade de Castelvetro. Tais incentivos representam o instrumento nacional de apoio à eficiência energética e à produção de energia a partir de fontes renováveis.

36.800 ton/ano
de dióxido de carbono poupado

Desde há cerca de 10 anos, o Grupo promove e implementa projetos de eficiência energética nas principais unidades de produção. Graças a estas intervenções, no qüinqüênio 2013-2017,  o Grupo INALCA obteve cerca de 42.000 certificados de eficiência energética (CEE), poupando o equivalente a 50.000 TEP (toneladas de petróleo equivalente), correspondendo a cerca de 2.100.000 GJ. Em 2017, a poupança em termos de CO2 não emitido foi de cerca de 36.800 toneladas de CO2, um valor ligeiramente superior a 2016.